29/02/2016-Curiosidades - O mercado de seguros encontra a sétima arte

O mercado de seguros encontra a sétima arte

O mercado de seguros tem muito em comum com a cerimônia do Oscar, que acontece no próximo dia 28, em Hollywood, e reconhece as melhores produções do ano na sétima arte.

A vida imita a arte, é o que dizem, mas às vezes ela é a matéria-prima para filmes que divertem e também contam um pouco mais sobre a riqueza e os desafios desse mercado.

Aproveitando o gancho da premiação do próximo domingo, saiba quais são os seguros que podem estar presentes na indústria. Além disso, que tal conhecer ou rever títulos que podem fazer quem trabalha na indústria do seguro se identificar? Alguns mais outros menos, veja os dez filmes que celebram a sétima arte e, claro, a indústria de seguros.

Hollywood e a indústria do seguro

Alguns visionários fizeram a fundação da indústria multi-bilionária cinematográfica. Para isso foi, e ainda é, preciso correr riscos consideráveis. Desde seu começo, os produtores de Hollywood contaram com a indústria do seguro para ajudar a gerenciar esses riscos.

Qualquer que seja a razão, eles também fascinam a indústria do seguro. De acordo com a Rede de Informações sobre Seguros da Califórnia, produções de filmes estão relacionadas com valores de prêmios que excederam US$ 100 milhões em 1998, a maioria por filmes longa metragem. Apesar de ser qualificado com um negócio de nicho, a maior parte dos players não são pequenos e inclui companhias como AIG, Chubb, CNA, Fireman’s Fund e St. Paul, juntamente com o os mais eminentes representantes, como o Lloyds que fez o famoso seguro das pernas de Beety Grable.

São descritos quatro produtos básicos que servem à indústria cinematográfica. Eles são desenhados para proteger os cineastas e produtores de possíveis interrupções nos negócios, desde atrasos de filmagens causados por eventos relacionados ao clima até a perda de um membro do elenco ou outra pessoa da equipe.

Seguro de elenco: Cobre qualquer custo adicional que pode surgir se uma produção perde um de seus membros de elenco, diretor ou qualquer pessoa, frequentemente, são essas perdas que representam a maior quantidade de sinistros. Em março de 1994, os produtores de “Dois contra o Oeste” receberam US$14,5 milhões quando o ator John Candy morreu de ataque cardíaco e ainda havia 20% do filme para ser terminado;

Erros e Omissões: Apólices protegem as produtoras de processos judiciais envolvendo violação de direitos pessoais, calúnia ou difamação. Essas apólices normalmente requerem que os cineastas consultem um advogado antes do lançamento do filme para verificar se há qualquer coisa que possa motivar uma ação judicial.

Produção geral: Pacotes de seguro que fornecem o seguro padrão que todo negócio necessita, como a compensação de trabalhadores, responsabilidade geral e seguro auto comercial. Também está incluído custos com atrasos  e refilmagens devido a questões climáticas, falha de equipamentos e danos causados no set.

Garantia de conclusão: Dá a certeza de que o filme será terminado. Sem esse produto, alguns dos filmes independents que já foram nomeados ao Oscar como Regras da Vida, O Paciente Inglês e Despedida em Las Vegas, poderiam não ter chegado ao tapete vermelho na noite da premiação. Sem o apoio de um estúdio maior, produções independentes preciso de uma garantia de que eles terão meios financeiros para completar um filme.

Produções complicadas podem ter um número de entidades financeiras, envolvendo mais do que um filme, e um número de seguradores e resseguradores que dividem o risco pulverizando a cobertura ou pegando diferentes camadas de exposição. É um mercado altamente especializado.

As companhias normalmente aceitam mais de 40 garantias por ano somando, aproximadamente, US$ 100 milhões. Mas tem em sua conta mais de US$ 2 bilhões usados para filmes como Coração Valente, Evita, Quatro Casamentos e um Funeral, Fargo, Lara Croft – Tomb Raider, A Cartada Final, além de O escorpião de Jade, Senhor dos Anéis, Assassinato em Gosford Park e Fomos Heróis.

Custos de produção normalmente são baseados na existência de sobreposição de contratos de direitos de distribuição. Em alguns casos, isso não é suficiente para cobrir os custos da finalização dos filmes, o que cria uma lacuna entre o montante que o investidor fornece, coberto por uma clássica garantia, e o montante total requerido. Se os financiados são Spielberg ou Gerge Lucas, o investimento é extremamente seguro, mas eles não precisam disso; seus direitos de distribuição são suficientes. A maior parte de quem está nesse mercado é de filmes independentes.

-

Para conhecer alguns filmes que envolvem casos de seguro entre no link do site abaixo e confira a matéria: http://revistaapolice.com.br/2016/02/o-mercado-de-seguros-encontra-a-setima-arte/

FONTE: Revista Apólice


Grupo GC do Brasil © 2013 - Todos os direitos reservados | R. Domingos de Morais, 388, 2ª andar, Vila Mariana - São Paulo - SP | CEP:04010-000 | Tel. (11) 2476.6076


Desenvolvido por Webplus